Post Icon

A maldição do cigano

Stephen King (Escrito sob o pseudônimo de Richard Bachman)

Com uma rotina tranquila, bem casado, o advogado Bill Halleck não tinha muitos problemas na vida. A não ser o peso. Mas por nada no mundo dispensaria os dois ovos com bacon do café da manhã ou os pacotes de Doritos diariamente devorados. Tudo iria mudar drasticamente naquele maldito dia. A velha cigana se pôs em seu caminho e Bill não conseguiu parar o carro. Ao mesmo tempo em que as rodas esmagavam a velha, a vida de Halleck começava a ser destruída. Considerado inocente pela justiça humana, não pôde fugir à maldição soprada por Taduz Lemke, o patriarca dos ciganos, na saída do tribunal. "Mais magro", praguejou o velho. A partir desta dia, os 111 quilos de Bill passam a ser sugados vertiginosamente. Se não conseguir deter a maldição cigana, em pouco tempo Bill não será mais do que um feixe de ossos.


 Olá Pessoal, tudo bem?

Hoje vamos conversar um pouco sobre  o livro que foi o escolhido para o Desafio Diminuindo a Pilha - Terror: A maldição do cigano e meu segundo King, se bem que não é exatamente um King, deixa eu explicar melhor isso.

Entre 1977 e 1984 os EUA conheceram um novo escritor Richard Bachman, mas o que todos vieram a saber depois é que o suposto escritor era um pseudônimo de Stephen King que como todos nós sabemos é uma máquina de escrever (George R.R. Martin vamos nos inspirar só um pouquinho no tio King, um livro a cada 1 ano até 2 anos... combinado?) e ele tinha um anseio por ver suas obras publicadas, no entanto, seus editores achavam que o mercado poderia ficar saturado de King se ele lançasse mais de um livro por ano. Sendo assim, ele criou esse autor recluso e publicou quatro volumes: Fúria, A longa Marcha, A autoestrada e O concorrente quando começaram as conexões entre King e Bachman e um livreiro de Nova Iorque foi até os registros da biblioteca nacional e descobriu a verdade.  Nesse meio tempo é publicado A maldição do cigano que trazia uma dedicatória a suposta esposa de Richard e até uma foto do autor (na verdade, o agente de seguros do agente literário do King). Até que em 1985, Steve Brown com a anuência do próprio King publicou
no Washington Post um artigo que revelou a verdadeira identidade de Richard Bachman. King afirma que, se o segredo não tivesse sido revelado Misery, uma das obras mais conhecidas do autor, também seria publicada sobre o pseudônimo. Para saber mais sobre isso, aqui tem um artigo em que o próprio King fala um pouco mais sobre os motivos para criar um pseudônimo.

Richard Bachman (na verdade Richard Manuel)
A maldição do cigano foi publicado em 19 de novembro de 1984 e na época vendeu 28 mil cópias, e logo que foi revelado seu verdadeiro autor, as vendas subiram para 280 mil (e ainda duvidando do poder da marca?).  O livro é classificado como terror, inclusive, pelo próprio autor, no entanto, para mim ele esta mais para um suspense com elementos de sobrenatural.

O livro vai trabalhar com um daqueles medos coletivos e difundidos: medo de ciganos. Nessa história, um bem sucedido advogado acaba atropelando uma cigana e por ser conhecido e ter amigos influentes ele acaba não sofrendo nenhum tipo de punição, na saída do tribunal ele é abordado por um velho cigano que lhe diz as seguintes palavra: "mais magro". Ele esqueceu essa história até que sem dieta ou exercícios ele começa a perder peso, no começo, parece uma coisa boa, afinal a quanto tempo sua esposa vem o atormentando para perder peso, mas aos poucos, ele começa a se preocupar se seria alguma doença grave. Depois de uma bateria de exames tudo em seu corpo parece bem e ele se lembra do cigano.

Então, Bill começa a investigar por conta própria e entra em uma paranoia tentando descobrir o paradeiro dos ciganos e uma forma de reverter a maldição. Mas como fazer sua família e  seu medico acreditarem em algo assim?

“Certos caras, muitos caras, não acreditam no que estão vendo, principalmente se isso for contra a maneira que querem comer, beber, pensar ou acreditar. Eu não acredito em Deus, mas se o visse acreditaria. Não andaria por aí dizendo: “Bem, isso foi um grande efeito especial”. A definição de um imbecil é um cara que não acredita no que vê.”

Conforme o personagem perde peso ele também vai ficando cada vez mais paranoico e começa alimentar um ódio pela esposa e por outros ao seu redor. E é justamente estar na cabeça do personagem e vivenciar esse medo e essa raiva que faz com que o livro se torne mais eletrizante do meio para o final. Até porque o começo dele é bastante lento e demoramos para nos interessar mais pela história ou pelos personagens.

E o final, o que podemos falar sobre ele eu achei interessante e com certeza, mostrou uma face do Bill que não esperavamos. Se recomendo o livro? Sim, é um livro que conseguiu me prender e manter interessada no seu desfecho.

Título: A maldição do cigano
Autor: Stephen King
Editora: Ponto de leitura
421 páginas

Bom por hoje é isso,

Até a próxima,

Dani Moraes

Nas redes sociais:

Nós sigam também nas redes sociais: Facebook, Twitter (danipmoraes) e  Instagram (danimoraes02).

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

3 comentários:

Tefa Candreva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tefa Candreva disse...

Minha mãe, que leu esse livro, tem me recomendado ele por muuuito tempo e eu sempre me esqueço de procurar pra comprar. Acho que está na hora de por ele na minha lista de compras. Hehehe

Tefa

https://resenhas-de-minuto.blogspot.com

As verdades que o pinoquio conta disse...

Oi Tefa,
Se vc gosta desse estilo deve colocá-lo na sua listinha sim, o começo é um pouco mais devagar, mas depois de um ponto fica impossível largar.

Abraços,

Dani Moraes

Postar um comentário