Post Icon

Encerrando o mês de Junho/2016



Olá Pessoal, tudo bem ?

Esse foi um mês de muitas mudanças na minha vida, então não estive muito presente no blog e nem nas redes sociais, no entanto, bem no começo do mês eu consegui assistir a muitas coisas, tudo que esta nesse post foi assistido nos primeiros 10 dias do mês (um recorde!) por isso, até que tenho bastante o que comentar por aqui.

Caso queira ver os livros lidos em junho, clique aqui.

Filmes:


1 - Zerando a vida (2016): Essa é uma comédia feita pela Netflix, conta a história de dois amigos de infância que se reencontram e decidem recomeçar a vida, assumindo a identidade de dois falecidos, mas o que a principio parecia um bom plano logo se tornou uma grande confusão. Na verdade, eu não gostei do filme, tem um tema que seria muito interessante se fosse melhor explorado, talvez em um drama, mas essa comédia não funcionou, não foi engraçado, algumas cenas eram muito forçadas. O filme foi sem graça, poderia ser melhor, mas não foi.  Netflix ★★☆☆☆




2 - O meu passado me condena (2013): Conta a história de Fábio e Miá, um casal que se casam depois de um namoro rápido e decidem ter sua lua de mel em um cruzeiro até a Europa, porém nesse cruzeiro eles irão reencontrar o ex dela e a paixão do passado dele. Apesar dos muitos clichês e final nem um pouco original, achei o filme divertido e com alguns momentos muito bons. Netflix.  ★★★☆☆




3 - Chalet girl (2011): Essa é uma comédia romântica austro-teuto-britânica, onde uma ex-skatista premiada vai trabalhar em um luxuoso resort de esqui para uma família muito rica, e nesse lugar ela vai encontrar uma nova razão para viver. Tem vários clichês das comédias românticas, mas eu gostei bastante sem falar que tem o lindinho do Ed Westwick, nosso eterno Chuck Bass (Gossip Girl). Netflix.  ★★★☆☆




4 - 23 Blast (2013): É um filme baseado na história real de Travis Freeman, um jovem americano astro do futebol na escola que depois de uma infecção fica cego e precisa reaprender a viver nessa nova condição. O filme é previsível, mas isso não faz com que a história seja menos inspiradora. Netflix. ★★★★☆



5 - Recomeço (2011): Murphy era considerado o melhor jogador do estado e tem um futuro brilhante pela frente, no entanto, ele acaba se machucando gravemente no último lance do jogo da final do campeonato. Anos depois, ele é um fazendeiro, cheio de dividas e com duas filhas, desesperado ele faz um ato extremo e quando desperta descobre que voltou ao passado e tem a chance de mudar suas escolhas e consequentemente o seu futuro. Gostei, é interessante principalmente porque nos faz pensar no que faríamos de pudéssemos voltar ao passado. Netflix. ★★★☆☆



6 - Cinderela (1950): Eu assisti essa animação clássica da Disney de novo, porque eu estava sozinha na minha primeira semana de casa nova, sem TV e sem internet e esse era o único filme salvo que eu tinha no PC, eu gosto muito de contos de fadas e dos clássicos da Disney por isso não foi nenhum sacrifício, preciso rever A bela e a fera. Nem vou comentar nada, é clássico é Disney, é lindo. ★★★★★


Séries:


1 - How I met your mother (2.17 - 4.10): Quando fui contabilizar vi que assisti muitos episódios e é por isso, que aconteceram muitas coisas e sem dúvida um dos episódios mais legais foi o casamento do Marshall e da Lily. Nem sei o que falar sobre essa serie que eu amo tanto. ★★★★★


2 - The Voice (10.18 - 10.29): Terminei de assistir essa temporada e foi muito boa, eu gostava de quase todos os artistas que foram para fase do ao vivo, principalmente a Brian Batista, Hanna e Alisan Porter e Mary Sarah. ★★★★★


3 - Once upon a time (5.11 - 5.23):  Voltei a assistir e finalizei a temporada e nessa temporada teve de tudo de uma vez. Para quem nunca assistiu essa série é conta a história dos personagens de contos de fadas que vieram parar no nosso mundo (sem mágica). Já escrevi sobre um episódio aqui no blog, lá eu introduzo um pouco melhor a série.

Começamos essa temporada indo para Camelot e vimos uma das nossas personagens queridas transformada em "The dark one" e depois descobrimos que tinham dois "dark one". E quando pensamos que já vimos de tudo, não é que nossos amigos vão parar no submundo no reino de Hades e vemos uma reconciliação familiar inusitada. E não é que surgem novos personagens para animar a próxima temporada Dr. Jekill e Mr. Hyde e já temos uma ideia do que vai rolar na próxima temporada.

Fico impressionada como os criadores dessa serie são criativos e conseguem misturar tantas histórias, só para recapitular já tivemos: os contos de fadas mais famosos (Branca de Neve, Bela e a Fera, Cinderela, João e Maria, Chapeuzinho Vermelho e etc), filmes da Disney (Valente, Frozen), Clássicos infantis (Peter Pan, Alice, Oz) e clássicos do terror (Frankenstein e Medico e o Monstro), vamos ver o que vai dar a próxima temporada.  ★★★★★


4 - Jane, the virgen (1.1 - 2.22): Essa serie ficava aparecendo como sugestão do Netflix e resolvi tentar e não é que eu gostei muito. Quando Jane era pequena a avó fez com que ela fizesse uma promessa de se casar virgem, agora aos 23 anos, noiva do policial Mike, ela é acidentalmente inseminada com sêmen do novo dono do hotel onde ela trabalha, Rafael, pelo qual, coincidentemente, ela teve uma queda no passado. A serie é inspirada em uma novela Venezuela e tem um narrador que é uma das partes mais legais, ele realmente participa da trama dando todo um ar rocambolesco, sem contar que estão sempre comparando a trama as telenovelas.
Todo episódio é iniciado com uma cena do passado de Jane que tem relação com o tema do episódio em si. E como se já não tivesse confusão em estar esperando o filho de um, sendo a noiva de outro, ela descobre que seu pai é um astro de telenovelas muito dramático e tem todo um enredo policial envolvendo assassinatos, sequestros e mudanças de faces. Tanto a primeira quando a segunda temporada terminaram com grandes Cliff hangers e agora estou ansiosa pela terceira temporada. A atriz principal (Gina Rodriguez) recebeu um Golden Globe pela performance na serie. ★★★★★



5 - Tables's Chef (1.1 - 1.2): Essa é uma serie/documentário original do Netflix em que cada episódio é focado em um grande chefe de cozinha famoso e de certa forma revolucionário contando a história do restaurante e mostrando de que forma a comida do chef é especial. O primeiro episódio foi focado em um chef italiano que ousou mexer com a tradicional comida italiana e um chef americano que traz todo um conceito diferenciado com relação a origem dos ingredientes e a sustentabilidade da produção. Gostei bastante desses episódios e pretendo continuar assistindo. ★★★★☆

Internet

Esse mês com toda a confusão acabei não separando nenhum link.

Blog

Não tiveram muitos posts esse mês aqui no blog, mas para esse mês vou tentar recuperar o ritmo.

1 - Lidos de Maio/2016
2 - TBR de Junho/2016
3 - Resumo do mês Maio/2016
4 - Comentário Livro: Um perfeito cavalheiro
5 - Comentário 2 HQs: Mulher-Maravilha - Sangue e Miss Marvel - Nada Normal
6 - Comentário Livro: O país das Neves


Bom é isso...

Até a próxima,

Dani Moraes

Nas redes sociais:
Nós sigam também nas redes sociais: Facebook, Twitter (danipmoraes), Instagram (danimoraes02) e Snapchat (danielapmoraes).

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

2 comentários:

Lígia Barros disse...

Também comecei a assistir Chef's Table em junho (e vi os dois primeiros episódios, que nem você). Achei bem legal. Os pratos que os chefs preparam são lindíssimos.

As verdades que o pinoquio conta disse...

Realmente os pratos eram muito lindos, o difícil é saber se eram gostosos

Postar um comentário