Post Icon

Alice


Aventuras de Alice no país das maravilhas
&
Através do espelho e o que Alice encontrou por lá
Lewis Carroll

 

Oi pessoal tudo bem ?
                Quem nunca se identificou com a frase acima? Quem nunca se perguntou, mas afinal quem sou eu....
                Hoje estou aqui para conversarmos um pouco sobre o Alice, eu li para o mês das crianças, mas infelizmente não consegui escrever o post. Antes tarde que nunca!!
                A minha edição é a bolso de luxo da Zahar, que aliás é maravilhosa e com ilustrações originais de John Tenniel, vem com os dois livros da Alice: Alice no país das maravilhas e Através do espelho e o que a Alice encontrou por lá. A característica comum as duas obras é a insanidade, sim insanidade porque tanta coisa louca acontece que não tem outro nome a ser dado.
 
Alice no país das maravilhas: A pequena Alice vê um coelho branco de paletó e resolve segui-lo e entra em buraco de coelho e acaba caindo em um lugar onde você pode aumentar ou diminuir de tamanho dependendo do que você come e bebe, onde coelhos brancos andam de paletó e vivem atrasados para compromissos, lagartas fumam narguilé e tem conversas existenciais e profundas.
Através do espelho: Dessa vez, Alice atravessa o espelho e chega um país tão louco quanto Wonderland, mas dessa vez, os personagens principais são peças de xadrez.
                O Lewis Carroll devia ser viciado em jogos, porque no primeiro temos as cartas de baralhos e depois o jogo de xadrez, portanto ele usa esses jogos para criar as metáforas para a história.
                Dá para perceber algumas metáforas como por exemplo, o fato que a Alice fica crescendo e diminuindo conforme a necessidade, o que pode criar um paralelo com o dilema dos adolescentes que se sentem muito grandes para algumas situações e tão pequenos para outras. Ou no segundo livro quando a Alice tem que passar por vários desafios para avançar nas casas do jogo de xadrez e chegar ao seu objetivo.
                Alice tem uma conversa incrível com o gato de Cheshire:
 
“Poderia me dizer, por favor, que caminho devo tomar para ir embora daqui?
“Depende bastante de para onde quer ir”, respondeu o Gato.
“Não me importa muito para onde”, disse Alice.
“Então não importa que caminho tome”, disse o Gato.
“Contanto que eu chegue a algum lugar”, Alice acrescentou à guisa de explicação.
“Oh, isso você certamente vai conseguir”, afirmou o Gato, “desde que ande o bastante."
 
Bom saiba para onde você quer ir e bom prepare-se para andar bastante.
                A Alice é uma fofa, ela constantemente dá conselhos muito sábios para ela mesma, por exemplo, quando ela encontra o vidrinho escrito “Beba-me” ela pensa que não deve beber qualquer coisa, mas como não estava escrito veneno deve então ser seguro.
 
                A sensação ao ler esses livros é que você está num daqueles sonhos doidos, onde acontece de tudo e então você chega à conclusão que o tal do Carroll fumava um...De todos os livros que eu li para o mês das crianças esse com certeza é o mais maluco.
 
Menina das estrelas do Ziraldo: Esse é o primeiro livro do Ziraldo com uma protagonista e a história do porquê ele escreveu esse livro é incrível. Um dia ele estava num bate papo com alguns alunos de uma escola primaria, quando uma das alunas o questionou porque ele não colocou nenhuma menina como moradora dos planetas do livro “O menino da lua”? Depois de ouvir a explicação do Ziraldo as próprias garotas esclareceram a questão dizendo que as meninas eram das estrelas.
                Essa foi a inspiração do Ziraldo para criar esse livro fofo, que faz um paralelo com Alice porque afinal meninas das estrelas são aquelas que vivem de sonhos e que são capazes de entrar em buracos de coelhos e de ir para novos mundos. Além de fazer esse paralelo com Alice, brilhantemente o Ziraldo vai descrevendo quem seria essa menina as estrelas e acho que ele faz isso de maneira primorosa, uma vez que, esse período da vida onde a menina já não é tão infantil, mas ainda não é uma adulta é uma fase muito rápida, porém especial na vida de todas nós que já fomos uma menina das estrelas.
                Todos nós sabemos que o Ziraldo é um ilustrador incrível, mas esse livro é primoroso, principalmente aquelas que fazem referência a Alice.
 
 
 
 
Aproveitei para assistir algumas adaptações da obra:
 
Alice no país das maravilhas (Disney – 1951): Hoje é considerado um dos clássicos da Disney, porém quando foi lançado foi considerado um fracasso de público e também foi criticado pela livre adaptação da obra do Carroll.
Eu não sabia, mas o filme foi baseado nas duas obras do Carroll e alguns dos personagens mais marcantes como Tweedledum e Tweedledee, por exemplo, são do segundo livro. Eu não sei porque o filme foi um fracasso, porque eu achei muito bom e completamente alinhado com o livro, apesar de ter algumas diferenças entre eles acredito que o Carroll teria aprovado.
 
Alice no país das maravilhas (Tim Burton – 2010): Outra adaptação muito conhecida: Alice cresceu e volta ao país das maravilhas, apesar de não se lembrar da primeira vez que foi até lá. Novamente temos personagens dos dois livros. Porém é uma livre adaptação, o enredo do filme não tem relação direta com o livro e tem a marca de Tim Burton, na minha opinião não tem diretor melhor para adaptar Alice. O que é a caracterização dos personagens, Jonny Depp de chapeleiro e a rainha Branca da Anne Hathaway, que aliás, não tem nada a ver com a rainha Branca do livro. Vale muito a pena assistir.

 

Once upon a time in wonderland (2013): Todos sabem que eu sou fã assumida de “Once upon a time”, inclusive já escrevi sobre isso aqui no blog, esse é um “spin off” que se passa em Wonderland. Alice foi para o país das maravilhas quando criança e viveu todas aquelas aventuras, mas ela não se aceitava que as pessoas pensassem que era invenção dela ou que ela estava louca, então ela voltou outras vezes para tentar trazer provas de que ela estava falando a verdade.  Em uma dessas vezes ela conhece um gênio da lâmpada e eles se apaixonam e ela desiste de provar que está falando a verdade e vai viver esse amor. No entanto, a rainha de copas (sempre ela) “mata” o gênio e Alice desiste de tudo e vai parar em uma instituição psiquiátrica.
É nesse ponto que inicia o primeiro episódio quando o coelho branco convence o Valete de Copas (e que valete...) a ajuda-lo a levar Alice de volta para Wonderland porque Cyrus não está morto e assim que começa a história.
Segue a receita que já conhecemos de “Once upon a time”, sempre trabalhando com pelo menos duas linhas de tempos diferentes em cada episódio e focando em um dos personagens principais.

Outra coisa muito legal é a interação com “Once upon a time”, Tiny, Hobin Hood são alguns dos personagens que aparecem nessa série. Pelo que eu vi a serie não terá outra temporada encerrando, portanto, em seus 13 episódios, o que eu acho particularmente uma boa, por ser um “spin off” não acho que a serie deva ficar se esticando até porque a série original tem muito mais recursos (uma gama enorme de contos de fadas, neverland, wonderland, Oz, personagens Disney e etc) que essa serie não teria.

Eu assisti os 4 primeiros episódios e pretendo continuar.

Bom é isso que eu tinha para falar sobre esse livro e suas adaptações e apesar de todas as insanidades, às vezes, eu só queria entrar no buraco do coelho branco e ir bater um papo com uma lagarta que fuma narguilé ou tomar um chá com um chapeleiro e uma lebre, enquanto comemoro meu desaniversário.
Feliz desaniversário para vocês !!!
 Livro: Alice – Aventuras de Alice no país das maravilhas & Através do espelho e o que Alice encontrou por lá.
Autor: Lewis Carroll
Editora: Zahar (Edição Bolso de luxo)
Ano: 2014
Classificação: Infanto-juvenil
317 paginas
Até a próxima,
Dani Moraes


 
 


 
 

 

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

2 comentários:

Clay disse...

*_* eu amei essa edição de bolso da alice

As verdades que o pinoquio conta disse...

E muito fofa mesmo...

Postar um comentário