Post Icon

O guia do mochileiro das galáxias - Dia da Toalha #2

Douglas Adams

"Muito além, nos confins inexplorados da região mais brega da Borda Ocidental desta Galáxia, há um pequeno sol amarelo e esquecido.
Girando em torno desse sol há um planetinha verde-azulado absolutamente insignificante, cujas formas de vida, descendentes dos primatas, são tão extraordinariamente primitivas que ainda acham que relógios digitais são uma grande ideia."
 


Olá Pessoal, tudo bem?

Se você costuma ler esse blog viu que eu resolvi fazer uma espécie de especial para comemorar o Dia da Toalha (25/05) e para isso eu estou relendo os 4 livros da serie original  e pretendo ler: Praticamente inofensiva e E tem outra coisa (que não é do Adams). Essa história foi originalmente criada como uma serie de rádio e posteriormente convertida em livros.

Para começar o primeiro: O guia do mochileiro das galáxias


O livro começa quando a Terra vai ser implodida para que seja construída uma via intergaláctica e Ford Prefect, um extraterrestre que ficou preso na Terra fazendo pesquisa para o mais extraordinário livro publicado pelas editoras da Ursa Menor - O guia do mochileiro das galáxias, consegue uma carona no ultimo momento e leva junto o terráqueo e seu melhor amigo Arthur Dent.

De uma maneira altamente improvável eles vão parar na nave coração de ouro, a nave mais moderna de todas as galáxias que movida por um motor de improbabilidade infinita e que foi roubada pelo ex-presidente da galáxia e primo de Ford  - Zaphod Beeblebrox, e que tem mais dois passageiros Trilliam, uma terráquea que saiu da Terra 6 meses antes do desastre e que já foi alvo da paquera de Arthur e Marvin - um robô maníaco-depressivo.

E assim começa a aventura desses quatro malucos pelo espaço. E eu me diverti tanto com releitura quanto da primeira vez, Douglas Adams tem uma habilidade incrível para descrever o absurdo de uma maneira totalmente plausível e o humor britânico desse autor é incrível.

"Não basta apreciar a beleza de um jardim, sem ter que imaginar que há fadas nele?"

A critica social e ao comportamento humano esta ao longo de todo o livro, por exemplo, adoro quando Arthur começa a fazer uma critica literária da poesia Vogon cheia de termos pomposos e vazios de significado, uma vez que, a poesia Vogon não tem significado nenhum (alguma similaridade com a realidade) e em muitas outras partes. Sem falar na utilização das teorias cientificas, distorcendo-as de forma a fazer as teorias parecerem cientificas.
 
"Que importância tem isso? A ciência conseguiu algumas coisas fantásticas, não vou negar, mas acho mais importante estar feliz do que estar certo."
 
Recomendo fortemente a leitura desse livro, se você for Nerd é leitura obrigatória, mas se não for, também vai se divertir demais com as situações totalmente malucas.
 
Livro: O guia do mochileiro das galáxias
Autor: Douglas Adams
Editora: Sextante
Ano: 2004
204 páginas

Segundo: O restaurante no fim do Universo
 
 
Nossos amigos estão com fome e desejam ir para um lugar comer, mas Arthur só quer um chá decente, mas a única coisa que a Sintetizadora Nutrimática de Bebidas, produzida pela Companhia Cibernética de Sirius, consegue fazer é uma xícara de plástico cheia de um líquido que era quase, mas não exatamente, completamente diferente do chá. E essa aparente simples situação vai levar nossos amigos a passar por situações  bizarras ou só extremamente improváveis. E como o próprio titulo já diz eles acabam indo comer no Restaurante do fim do Universo, onde é possível comer e assistir ao final do universo.

O humor, a critica social e a criatividade continua a mesma do primeiro livro, adoro quando ele trata da dificuldade que o homem tem de entender a enormidade das coisas em contraponto com sua pequenez e por isso, em geral prefere ignorar o universo praticamente infinito que existe lá fora e se concentrar apenas no seu pequeno mundinho.

E a explicação para as bolhas econômica incrível!! E zoeira com a gramática, crítica a complexidade tributária, referencia a quadrinho e/ou mitologia, certo ceticismo com a religião, critica a música (midiática) e outros tópicos. Inclusive tratando de uma maneira inusitada a ética ao se alimentar de carne ou não (pensei em colocar um fragmento, mas seria spoiler).

"...parando apenas para notar que o termo "Pretérito Perfeito" foi abandonado depois que se descobriu que não era bem assim."

E no final você descobre que ficar perdido no espaço não é nada comparado a ficar perdido no tempo. A serie continua alto nível e todos deveriam ler.
 
Livro: O restaurante no fim do universo
Autor: Douglas Adams
Editora: Sextante
Ano: 2004
229 páginas

Por enquanto é isso,
E se gostaram do conteúdo do blog, clique aqui do lado em seguir e curta as redes sociais do blog que para receber os conteúdos em primeira mão.

Até mais,
Dani Moraes

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

2 comentários:

Julieta disse...

"Que importância tem isso? A ciência conseguiu algumas coisas fantásticas, não vou negar, mas acho mais importante estar feliz do que estar certo." <3

Ainda tô no segundo livro, mas essa sua maratona preparatória do dia da toalha me inspirou a fazer o mesmo, vou ver se consigo dar conta de todos até dia 25. Pouco provável! rs

Beijinhos!
www.julietices.com

As verdades que o pinoquio conta disse...

Julieta,
Que incrível que você também se empolgou e esta fazendo as leituras. Amei!!!!
Vamos que vamos que o dia 25/05 já esta chegando...
Bjus,

Dani Moraes

Postar um comentário